Praticidade e precisão nos novos métodos de extração do mercado

Conhecer novos métodos de extração de café nunca é demais. Sempre proporciona experiências diferentes e variações na maneira de fazer o café. Ano passado, a Hario lançou novos modos de preparo que, apesar de se assemelharem com alguns já existentes, trazem novas propostas. Recentemente, esses métodos chegaram ao Brasil. Conheça um pouco de cada um deles e descubra qual pode ser o próximo para o seu momento de preparar um bom café:


HARIO MUGEN
Foto: Nathália Farnetti

O novo método da Hario, o Mugen, foi criado no Japão e é bastante similar ao formato do V60. Uma das grandes diferenças entre os dois métodos é que o Mugen foi projetado para extrair o café sem pré-infusão, com apenas um despejo de água. As ranhuras do método apresentam formato de estrela, deixando a parte interna praticamente lisa. Com isso, o filtro de papel adere mais facilmente nas laterais, fazendo com que o fluxo de extração seja mais lento. O café fica em contato por mais tempo com a água, resultando em uma bebida intensa e encorpada. É possível utilizá-lo de duas maneiras: com a base oval removível ou diretamente sobre a jarra ou a xícara utilizada. O método também pode ser comprado na versão de porcelana ou plástico, ambos com duas peças.


De acordo com Rodrigo Nassuno, CEO da Flavors, existem diversos fatores que interferem no preparo do café, mas o despejo único de água facilita a padronização da bebida final e permite um tempo médio de extração de três minutos. “A ausência de passagem de ar permite uma extração totalmente lenta. Com isso, é possível reter mais o café e trazer uma bebida bastante encorpada, intensa e mais doce. A ideia de jogada única da água facilita o preparo da bebida e padroniza o resultado”, explica.

Além disso, ele destaca como o método é ótimo para iniciantes no preparo do café especial e também o vê com grande potencial dentro das cafeterias. Apesar dos aspectos positivos, Rodrigo também pontua as limitações do Mugen: “Por ser um método bem simples de se preparar, você perde a versatilidade do preparo da bebida, como no V60”.


O executivo conta ainda que o primeiro lote do Mugen chegou ao Brasil em dezembro de 2021 e foi vendido rapidamente, sendo que ainda continua sendo bastante procurado. Inicialmente, os produtos foram liberados apenas para o consumidor final, como uma forma de levar o método para mais pessoas.


DRIP ASSIST V60

O Drip Assist V60 também é um novo utensílio criado pela Hario. Ele funciona mais como um acessório, projetado para facilitar o processo de preparo do café e oferecer diferentes possibilidades durante a extração da sua bebida. Apresenta orifícios de dois tamanhos diferentes, que permitem regular a velocidade do gotejamento. O seu formato dispensa a utilização de uma chaleira com pescoço de ganso. No caso do despejamento de bastante água, ela fluirá para a seção central, o que facilita manter a medida certa para a sua receita.

Rodrigo Nassuno afirma que o grande objetivo do acessório é possibilitar um melhor controle da quantidade de água no preparo. O Drip Assist apresenta 10 furos na parte externa e três na parte interna. Os furos externos apresentam um fluxo mais lento, enquanto os internos permitem um fluxo mais rápido. O CEO da Flavors lembra que o utensílio foi feito para criar um processo específico de preparação do café e também minimizar alguns erros comuns que podem acontecer durante a extração, como o despejo de muita água. Assim como o Mugen, o Drip Assist é recomendado para cafeterias e pessoas que desejam preparar o seu café em casa de maneira uniforme. “Não tem uma receita específica, por não ser um método.


É um acessório que também veio para facilitar a vida de empreendedores que trabalham nas cafeterias, por padronizar o resultado final da bebida”, explica. De acordo com ele, dentro das novidades da Hario, o Drip Assist e o Mugen foram as que a Flavors (importadora e exportadora) decidiu priorizar devido à alta demanda dos consumidores.