Importância e benefícios das embalagens de café


Normalmente, a embalagem de café é o primeiro canal de contato entre o produto e o potencial consumidor, e pode influenciar tanto para a eficiência da comunicação que a marca pretende estabelecer, como para a decisão de compra no ponto de venda. Existem diversos tipos, formas, tamanhos, materiais e designs de embalagens no mercado atualmente. No universo dos cafés especiais, tão fundamental quanto informar claramente a espécie dos grãos (Arábica ou Robusta), é também indicar o prazo de validade, a data e o ponto de torra, os processos pós-colheita, os atributos sensoriais, a variedade do grão (cultivar), a fazenda/região produtora, além de estampar os selos de certificações e demais atributos que atestam a qualidade daquele café.


O café precisa ser bem armazenado para que suas propriedades sejam bem conservadas, e nada melhor para isso do que as próprias embalagens. Elas são produzidas com o objetivo de evitar exposição ao oxigênio, aos aromas externos e à luz, além de impedir o aumento da umidade e do calor dos grãos. Outro aspecto comum aos diferentes formatos é o papel laminado, responsável por não permitir a oxidação e a perda de aroma e sabor do café.


O supervisor comercial da Soulpack Embalagens, Fernando Fernandes, ressalta a sensibilidade dos grãos de café e como eles precisam de cuidados especiais. “A escolha da embalagem é importantíssima para que todo o cuidado demandado com a qualidade desde o plantio, a colheita e a torra, não seja perdido após o envase e garanta a entrega do melhor sabor possível na xícara”, afirma.


Além disso, Fernando pontua que é fundamental a utilização da válvula desgaseificadora. Ele acredita que, assim como todo o processo produtivo do café evoluiu, com as embalagens não poderia ser diferente. A empresa é comprometida com uma produção sustentável, sem acúmulo de resíduos e pioneira, na América do Sul, dos formatos box pouch, que têm as laterais e fundo retos e zíper frontal.


RÓTULOS

A função primária da embalagem do café é manter sua qualidade, mas também é um meio de comunicação com o consumidor. A barista e nutricionista especializada em rotulagem de alimentos, Andrea Menocci, reforça que a marca comunica seus valores por meio da embalagem, como as cores, o design e o rótulo, que traz informações importantes na decisão de compra para o consumidor: “Por se tratar de um alimento, o rótulo deve informar dados obrigatórios determinados pela Anvisa, InMetro e pelo Código de Defesa do Consumidor. Tudo o que está no rótulo, mesmo nos cafés artesanais, deve garantir informação clara e verdadeira e o não cumprimento dessas normas pode trazer muitos prejuízos ao produtor ou a torrefação”.


SELOS DE QUALIDADE

As embalagens podem ter outras informações capazes de traçar o perfil do café adquirido. Para Sulayne Shiratori, proprietária da Lab7 Café & Experiência - Do Pé ao Paladar (Brasília-DF), um bom crivo para quem está aprendendo é procurar selos de qualidade: UTZ, Rainforest Alliance, Biodinâmicos e Orgânico. “Se a pessoa comprar no supermercado, é importante procurar e priorizar os que vêm com selo da ABIC. É uma garantia da ausência de fraudes e que passaram por processos para atestar a pureza”, orienta. Para os cafés especiais, ainda há o selo da BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais), Indicação de Procedência e Denominação de Origem. Ainda há outros selos mais específicos, como os de Certificação 4C, Cup of Excellence (CoE), Coffee of the Year (COY), Fair Trade e Direct Trade.