top of page

28ª ENCAFÉ marcou reencontro da indústria cafeeira

Após dois anos de ausência, ENCAFÉ retornou com recorde de participantes


Premiados do 19º Concurso ABIC (Imagem: Gilvan de Souza)

No dia 27, último domingo, se encerrou a 28ª edição do Encontro Nacional do Café (ENCAFÉ), tradicional evento organizado pela Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), com patrocínio do SEBRAE. Após dois anos de ausência, o evento retornou em grande estilo e com recorde de participantes, mais de 400, todos membros de diversos setores da cadeia produtiva cafeeira.


ENCAFÉ: momento de transformação

Em seu discurso de abertura, no dia 23, Pavel Cardoso, Presidente da ABIC, declarou o evento como um momento enriquecedor, onde todos trabalharam para aumentar as possibilidades do segmento nesse novo cenário que se apresenta no país e no mundo. Os quatro dias seguintes mostraram a força de tal afirmação, e nomes como Ricardo Amorim, Roberto Amorim, David Fiss, Walter Longo e Leandro Karnal subiram ao palco do auditório principal do Hotel para tratar não somente sobre café, mas também sobre assuntos transversais que podem colaborar com o segmento como qualidade, inovação, sustentabilidade, varejo e comunicação.


Ao longo do encontro, foram apresentadas as possibilidades que o atual cenário político e econômico podem trazer para a cafeicultura, a importância da agricultura brasileira para o mundo, setor que, de acordo com Roberto Rodrigues, é o único capaz de abastecer o mundo de maneira sustentável. Giuliana Bastos, pesquisadora do São Paulo Coffee Hub, levou ao centro de convenções do Grand Hyatt a pesquisa “A identificação do perfil do consumidor de café que busca por qualidade”, que traz a visão de 5.460 apreciadores e apreciadoras de café sobre o produto, com mais de 180 mil respostas, o maior já realizado sobre consumo de café no Brasil. Os dados mostraram que o café torrado e moído é o mais consumido, seguido do moído na hora, e o atributo aroma foi identificado como o mais importante na hora da compra. Para acompanhar essa tendência, Camila Arcanjo, Coordenadora do Centro de Preparação de Café do Sindicafé-SP, informou que a ABIC está atualizando seus métodos de avaliação, para melhor comunicar esse atributo para os consumidores.


Já Pedro Henrique Netto, Analista de inteligência de mercados da Apex Brasil, agência de exportações, dissertou sobre os serviços no catálogo da empresa, para ajudar industriais a levar seus produtos para o exterior.


Com a arena do conhecimento, os participantes tiveram acesso a conteúdos exclusivos de forma mais didática, com um curso em duas partes da CARMOMAQ, um panorama sobre o mercado de cápsulas, com foco em sustentabilidade. Os presentes puderam também acompanhar uma sessão de perguntas e respostas sobre a Portaria 570, que entra em vigor a partir de 2023.


Vencedores do 19º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café foram premiados

A cerimônia também foi momento para premiar dos vencedores do 19º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café – Origens do Brasil – Safra 2022. Antes de iniciar a celebração, Celírio Inácio, Diretor executivo da ABIC, enfatizou que o consumidor tem o direito de ter bons cafés na mesa e comemorou o fato do trabalho e do esforço da ABIC serem reconhecidos nacionalmente.


Em seguida, Inácio chamou os vencedores presentes, um a um, ao palco, para receberem as suas placas de homenagem. Nem todos puderam comparecer, mas, receberam suas premiações pessoalmente os seguintes produtores:

  • Iasmin Fernanda Vilela Resende, da Fazenda Nascente D’água, em Rio Pardo de Minas-GR / Maior nota da categoria arábica e campeã da Origem Chapada de Minas;

  • Jarlete da Penha Sotelle, do Sítio Vista Linda, em Santa Teresa-ES / Maior nota da categoria canéfora e campeã da Origem Montanhas do Espírito Santo (espécie canéfora);

  • Patrícia Rosa, filha de Antônio Rigno, da Chácara São Judas tadeu, em Piatã-BA / campeão da Origem Chapada Diamantina;

  • Adelino Semboloni, da Fazenda dos Tachos, em Varginha-MG / campeão da Origem Sul de Minas;

  • Carmen Lydia J.P. Meirelles, da Fazenda Santa Rita do Xicão, em São Gonçalo do Sapucaí-MG / associada ABIC e campeã da Origem Mantiqueira de Minas;

  • Maria Adriana Monnerat Erthal, da Fazendinha Bela Vista II, em Bom Jardim-RJ / campeã da Origem Serrana do Rio de Janeiro;

  • e José Fernando Matos Mororó, da Terra de Kurí, em Espírito Santo do Pinhal-SP / campeão da Origem Região de Pinhal.


Encerramento contou com Leandro Karnal e anúncios para o 29ª ENCAFÉ

Para encerrar a 28ª edição do ENCAFÉ, o professor e historiador Leandro Karnal subiu ao palco e conversou com os presentes sobre a capacidade de adaptação da humanidade e, ainda, debateu sobre as mudanças e as consequências do mundo pós-pandemia. Karnal explicou que o ser humano está em constante mudança e que não é possível para qualquer tipo de profissional ficar fixo em um só lugar.


O senador Marcos Rogério (PL-RO) também discursou, e se se mostrou disposto a lutar em prol do setor no Senado Federal e afirmou a todos os industriais presentes que eles podem contar com o seu apoio. Pavel Cardoso encerrou a cerimônia, emocionado com o retorno do evento: “Trouxemos muitas informações e conteúdos relevantes para o setor, o que é bastante satisfatório. Saio com a sensação de que podemos valorizar ainda mais o café nacional, responsável por 40% da produção mundial”. Para a próxima edição do evento, foi anunciado que ele será sediado no resort Vila Galé, localizado no estado de Alagoas.


Fonte: Usina da Comunicação

0 comentário

Comments


bottom of page