Coca-Cola no universo do café

Atualizado: 14 de set. de 2018


A Coca-Cola realizou uma ação inesperada e concretizou a compra da rede de cafés europeia Costa Coffee pelo valor de R$ 3,9 bilhões de libras, aproximadamente U$ 5,1 bilhões. O valor da transação multiplica em 16 vezes o lucro da rede britânica para o ano de 2018.


A Costa Coffee tem mais de três mil unidades ao redor do mundo, mas nenhuma nos Estados Unidos. Após a compra, a marca de refrigerantes vai usar sua rede de contribuição para aumentar a expansão dos cafés.


O ramo do café é um dos poucos em que a multinacional norte-americana não tem marca global. Esse acordo evidencia uma disputa das redes de refrigerante no mercado, por conta do afastamento dos consumidores de bebidas gaseificadas e com muito açúcar.


Além disso, a aquisição pode levantar uma disputa entre Coca-Cola e Starbucks. A Costa é a segunda maior rede de cafeterias da China, embora sua presença atualmente seja menor do que as 2.800 lojas da Starbucks. Logo, o acordo não ameaça apenas as operações dos Starbucks, mas também o varejo com a venda de cafés gelados e bebidas de café em conveniências ao redor do mundo. No Reino Unido, por exemplo, a Costa opera em máquinas de café self-service em lojas e postos de gasolina, modelo que pode ser levado para os Estados Unidos.