top of page

O mercado brasileiro apresenta 1% de queda no consumo interno de café, diz ABIC

Atualizado: 16 de mar. de 2023

A Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) realizou nesta quinta-feira (02/03) uma coletiva de imprensa onde apontou dados demonstrando uma queda de 1,01% no consumo de café por parte dos brasileiros. No ano de 2021 o Brasil consumiu 21,54 milhões de sacas e no último ano este número caiu para 21,33 milhões.


Conforme a associação, a queda do consumo no Brasil referente ao ano de 2022 se atribui em grande parte ao “impacto da inflação e a diminuição do poder de compra”. Segundo a Abic, o reajuste médio do quilo do café no país em 2022 foi de 35,4%, a maior causa deste aumento foi a readaptação do valor da matéria prima e dos demais insumos agrícolas.


A venda do café Tradicional/Extraforte corresponde a 89,3% (13.854 milhões de sacas), o desempenho de 2022 apresentou um aumento de 0,45% referente a 2021. Já o café Superior apresentou um crescimento expressivo, no último ano foram comercializadas 708,3 mil sacas e em 2021 o número foi de 562,5 mil sacas. O café em cápsulas correspondia a 395,8 mil sacas no ano passado em comparação com 375 mil sacas em 2021, o grão Gourmet/Especial representava 125 mil sacas em 2022 ante 104,2 mil sacas no ano de 2021.


A Abic informou também uma reestruturação do seu Programa de Certificação. Os produtos que não atingirem a nota de 4,5 pontos poderão ainda ser comercializados, porém deverão trazer em seu rótulo a informação que aquele produto é “Fora do Tipo” e, por consequência, não receberam o selo da Abic.


Durante a coletiva a Abic comunicou a todos que passou a ser uma entidade credenciada pelo Ministério da Agricultura para realizar a classificação de café moído e torrado, e que as novas mudanças fazem parte de um compromisso assumido a 50 anos pela associação a fim de trazer mais qualidade e melhoria do café que é servido nas xícaras dos brasileiros.


0 comentário

Comentarios


bottom of page