Conselho Nacional do Café mantém Silas Brasileiro como presidente

No dia 25 de fevereiro, os membros do Conselho Nacional do Café (CNC) realizaram uma Assembleia Geral Ordinária (AGO), virtualmente, em que o presidente Silas Brasileiro foi reeleito para a Presidência Executiva até março de 2023. Durante a reunião, o coordenador Maurício Miarelli e o novo Conselho Diretor também foram eleitos para orientar os trabalhos implantados futuramente.


O presidente acredita que serão dois anos desafiadores diante da nova crise sanitária e econômica, que exigirão reinvenção e inovação de todos. Silas também reforça que a entidade seguirá estreitando laços com os parlamentares e o Governo Federal com o intuito de preservar o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e ampliar o capital destinado à pesquisa e inovação. Ele acredita que essa aproximação é importante para que as políticas do setor não sejam prejudicadas.


O CNC, juntamente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), apurou que os repasses do Funcafé aos agentes financeiros na safra 2020 subiram para R$ 3,848 bilhões até o último dia 3 de março. O montante corresponde a 70,4% do total de R$ 5,466 bilhões contratados. Desse volume repassado, R$ 1,482 bilhão foi destinado à linha de financiamento de Comercialização (67,1% do total), R$ 1,240 bilhão para a de Custeio (77,5%), R$ 605 milhões ao Financiamento para Aquisição de Café – FAC (54,4%), R$ 501 milhões para Capital de Giro (79,4%) e R$ 20,3 milhões à linha destinada à Recuperação de Cafezais Danificados (12,7%).


Para o próximo biênio, o Conselho Diretor do CNC contará com nove conselheiros: Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé; Carlos Sato, presidente da Cocapec; Francisco Sérgio de Assis, presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado; Guilherme Salgado Rezende, presidente da BSCA; José Marcos Rafael Magalhães, presidente da Minasul; Leonardo de Mello Brandão, vice-presidente da Coccamig; Luiz Carlos Bastianello, presidente da Cooabriel; Luciano Ribeiro Machado, Superintendente do Bancoob; e Marco Valério Araújo Brito, presidente da Cocatrel e da Coccamig.

0 comentário