Cafés especiais conquistam brasileiros e estrangeiros

Os apreciadores de café estão cada vez mais exigentes. Segundo dados da Nielsen, empresa germânico-americana focada em pesquisas de mercado, os cafés com custo superior a R$ 12 nas embalagens de 500 gramas tiveram um crescimento de cerca de 31,1% nos anos de 2019 e 2018. Além disso, enquanto o mercado do café tradicional cresce cerca de 2% ao ano, os cafés gourmet apresentam a média de 13%.


A valorização do produto é reflexo da tendência mundial que tem se consolidado no Brasil e que será demonstrada durante a Semana Internacional do Café, o maior evento do setor do país, que acontecerá entre os dias 18 e 20 de novembro em plataforma digital. “O mercado internacional há tempos consome cafés diferenciados. E essa realidade também está crescente no território brasileiro. Graças à competência do produtor, aliada a técnicas de produção, somos um dos poucos países que têm a capacidade de preencher essa demanda de mercado com quantidade e qualidade”, explica Breno Mesquita, Vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Sistema FAEMG) e Presidente das Comissões Estadual e Nacional de Cafeicultura.


Para ser classificada como especial, as características da bebida são analisadas de acordo com a forma de produção do café – pré-colheita e colheita, principalmente – e a sua indicação geográfica. As influências do ambiente, do processo produtivo e das pessoas envolvidas criam outro fator diferenciador para o produto, que apresenta originalidade e características únicas, somente encontradas naquela região.


Outro quesito importante para essa valorização é a sustentabilidade socioambiental presente na produção. “Com uma legislação trabalhista e ambiental criteriosa e exigente, o Brasil ganha destaque positivo neste critério. Para comprovar que tais especificidades estão sendo cumpridas e abrir caminhos para mercados exigentes, a busca por certificações também é um aspecto importante”, pontua Niwton Castro Moraes, assessor técnico especial em café da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa). Seguindo critérios de padrão internacional, selos como o Certifica Minas Café, desenvolvido pelo governo de Minas Gerais para produtores do estado, abre portas para o mundo e agrega valor ao café, sendo uma característica considerada pelos consumidores.


0 comentário